Menu Content/Inhalt
Home arrow Cultura arrow Lendas
Lendas versão para impressão enviar por e-mail
02-Mai-2006

As lendas de Aboim da Nóbrega mais relevantes. Caso considere que outras merecem ser mencionadas, por favor contacte-nos pelo e-mail geral(arroba)aboimdanobrega.com .

1. Dente Santo

Fonte do Dente Santo

Em Aboim da Nóbrega venerava-se um Dente Santo. Ainda hoje existe uma fonte nascente (ver foto abaixo) com esse nome, no lugar de Barges, e algumas pessoas com esse co-apelido. O povo atribuía ao Dente o poder de salvar as pessoas das mordidas dos cães raivosos. Era o abade de Santo André de Gondomar, João do Valle Fresco e Faria, em 1758, que se fazia acompanhar por todas as romarias do Norte, com o referido dente, onde benzia as pessoas. Ignora-se a que santo houvesse pertencido o dente: a Santo Eleutério, arcebispo de Braga falecido em 550; a S. Frutuoso, abade de Constança, Vila Real, onde se lhe guarda a cabeça com falta de um dente; ou a S. Eleutério, martirizado em 196. O Dente Santo encontra-se actualmente no Museu da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Esta lenda é suportada por várias fontes bibliográficas. Uma das mais relevante é o artigo científico escrito em 1921 pelo Prof. Dr. Pires de Lima (DenteSanto.Doc 2,9Mb) .


2. Poderes de São Sebastião

Capela de São Sebastião De São Sebastião, a quem se venera na capela da Povoadura, diz-se que quando rebentou a Revolução da Maria da Fonte, também conhecida por Revolução do Minho, que levou em 1846 a cerca de 8 meses de Guerra Civil, teve o poder de afastar as forças de autoridade do lugar da Povoadura, para o lugar da Pequenina. Na casa da Pequenina encontrava-se apenas uma idosa, uma vez que os revoltosos locais teriam fugido para os montes. As forças da autoridade apoderaram-se da casa, ocuparam-na durante uma semana, alimentado-se com uma vaca da mesma, que entretanto matariam. Durante a estadia trataram bem a idosa, e foram embora sem que qualquer revoltoso tenha sofrido o efeito de possíveis represálias.

3. Localização da Igreja

Da igreja diz-se que se localizava no lugar das Lameiras (existindo ainda, aliás, nesse local, um antiquíssimo cruzeiro) e que foi mudada numa noite, pelos Mouros, para a actual localização.

4. Lenda dos Aloendros de D. João de Aboim

Aquando da conquista do Algarve, reza a lenda que D. João de Aboim se encantou por uma princesa moura de nome Alandra. Esta foi disfarçada ao seu encontro e suplicou-lhe que a tomada de posse da cidade de Faro fosse feita sem os cavaleiros portugueses fazerem qualquer mal às mulheres e às crianças. D. João de Aboim apaixonou-se pela princesa e no meio da conversa agendou um encontro entre ambos. Quando D. João de Aboim se dirigiu ao local em vez da princesa somente estava um ramo de flores à sua espera, às quais atribuiu o nome da princesa. Com o passar do tempo as Alandras converteram-se em Aloendros. Não obstante, o vinho Alandra da Herdade do Esporão, cujo primeiro proprietário foi D. João de Aboim, mantém o nome original da princesa. Saiba mais sobre esta lenda e escute-a clicando na imagem abaixo.

Aloendros

 

 

Destaques

O sítio web dos genuínos Lenços dos Namorados de Aboim da Nóbrega, com 20 anos de existência, o mais antigo de artesanato de toda a web lusófona assim como o mais antigo de todos do concelho de Vila Verde, mudou de alojamento e endereço web. Motivo: o Portal Sapo, onde estava alojado, cancelou a oferta de alojamento gratuito de sítios web sem fins lucrativos. Solução: alojamento novo. O sítio web dos Lenços de Namorados de Aboim da Nóbrega passou, assim, a estar alojado no mesmo servidor deste Portal.